Voltar para conteúdos Voce é da nossa conta

Educação financeira para crianças: a importância de inserir hábitos financeiros desde cedo

Muito do que se aprende em casa é o que se leva para o resto da vida. A família ajuda a construir crenças, valores e hábitos em diversos aspectos, e com as finanças não é diferente. As crianças estão sempre observando e reproduzindo o que veem. Bem cedo já começam a perceber que algumas coisas dependem de dinheiro, como um brinquedo, uma roupa nova

Muito do que se aprende em casa é o que se leva para o resto da vida. A família ajuda a construir crenças, valores e hábitos em diversos aspectos, e com as finanças não é diferente.
As crianças estão sempre observando e reproduzindo o que veem. Bem cedo já começam a perceber que algumas coisas dependem de dinheiro, como um brinquedo, uma roupa nova, uma ida ao cinema e até o lanche na escola. Então por que não aproveitar esses momentos para introduzir aos poucos a educação financeira?

Além de ajudar os pequenos a desenvolver a capacidade de agir na sociedade de forma crítica, participativa, ética e criativa, passar esse tipo de conhecimento é primordial para a formação de adultos mais conscientes de suas próprias condições. Tudo para que, no futuro, possam tomar melhores decisões para si e para a família que construírem.

Por onde começar?
Antes de tudo, mantenha uma comunicação aberta e garanta que haja espaço para o diálogo. Fale sempre sobre o assunto, tire dúvidas e faça novos planos em família. Aproveite os recursos lúdicos para passar algumas lições (como jogos de tabuleiro e livros) e sempre mostre a importância de gastar e poupar de forma consciente.

Ensine planejamento e organização
Para saber quanto se recebe e se gasta, planejamento e organização são ferramentas essenciais. Seja com a ajuda de um aplicativo de controle financeiro, uma planilha ou até um bloco de notas, explicar e ensinar para a criança como é feito o gerenciamento do dinheiro ajuda na visualização da dinâmica dentro de casa e na percepção do que é necessário economizar, quais são os gastos que podem ser cortados e para onde vai a maior parte dos recursos.

Além disso, aplicar lições práticas faz toda a diferença no aprendizado. Incluir os pequenos nas compras é um ótimo exemplo: peça ajuda para que eles auxiliem a criar a lista de acordo com o que falta nos armários e, quando estiverem no mercado, informe e instigue-os a questionar quando um produto está barato ou caro.

Converse sobre o assunto de forma natural
Desde sempre, não fale sobre o dinheiro com receio ou como se fosse algum tipo de tabu. Explique como funcionam ferramentas como cartões, mostrando que os gastos que vão para a fatura também serão descontados do salário e que, se o consumo não for planejado, poderá afetar o orçamento da família.

Com o passar dos anos, insira mais conceitos relacionados a finanças nas conversas. Tente esclarecer novos termos de forma lúdica, explicando temas mais complexos com exemplos que tornem o aprendizado mais fácil, como criando alguma situação fictícia com elementos que fazem parte do universo infantil.

Estimule o hábito de poupar
A educação financeira infantil é um processo. E, para ajudar os filhos a dar os primeiros passos na vida financeira, conte com a Poupança do Sicoob para ensiná-los a poupar desde cedo de forma rentável e segura. A Poupança do Sicoob é ideal para ensinar o hábito de poupar como um caminho para a realização de sonhos, e poupadores de 0 a 16 anos recebem um cartão de movimentação personalizado com a carinha do nosso porquinho.


Sempre dê o exemplo
Lembre-se de que ensinar pelo exemplo é, sempre, o método mais eficaz com as crianças! Não dá para querer que sejam responsáveis com dinheiro se você frequentemente gasta com compras desnecessárias, presentes e outros itens que estimulem o consumismo. Para priorizar o ato de poupar, investir ou até de simplesmente usar com sabedoria o dinheiro, os ensinamentos precisam ser passados não apenas por palavras, mas também por ações.

Continue explorando